Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Noviactual

MENU

A peça “Elas - Uma viagem no feminino” é um musical que retrata a luta da mulher cabo-verdiana e do mundo ao longo da história, como relata Vera Cruz diretora artística, depois da estreia no Mindelact.

 

“Todas as músicas escolhidas, todos os nomes que pareceram foram a forma de homenagear as mulheres cabo-verdianas e do mundo desde outros séculos, com outras condições, outro respeito, outros direitos e, de outros, que tem menos direitos, mas de mulheres mortas ou não que fizeram algo para que hoje pudéssemos ter mais liberdade”.

 

Vera Cruz define a peça como sendo um processo desafiante “foi um processo doido, muito doido. O guião ficou pronto há dois dias. Estou neste desafio há dois anos, primeiro com Grito Rock e agora Mindelact, um desafio mais sério” concluiu.

 

noviactual.PNG

 

No ato de encerramento, de mais uma edição da festa do teatro do Mindelo, o presidente anota que a edição, cheirando a bodas de prata, foi de novo um festival de resistência.

 

João Branco agradece a todos, desde artistas aos parceiros, à equipa disse “somos uma equipa que sonha, pensa, e trabalha o ano inteiro para que durante 10 dias o evento dos afetos aconteça com o fulgor cada vez maior e foi graças a essa incrível equipa que foi possível iniciar esta aventura” concluiu.

 

E com o coração nas mãos, mas com muita arte, alma e afeto foi anunciado o Mindelact 2019.

 

IMG_20181108_113803.jpg

 

A atriz brasileira Vera Holtz encontra-se no Mindelo para apresentar, no Mindelact, a peça “Sonhos para vestir” interpretada por Sara Antunes.

 

Vera Holtz conhecida pelos seus inúmeros papéis nas telenovelas da Globo disse estar surpreendida pelo carinho recebido dos cabo-verdianos. “Senti realmente como é estar em Cabo Verde na sala de espera do aeroporto. As pessoas reconheceram-me e começaram a falar sobre as minhas personagens nas novelas. Eu sei que as pessoas gostam de novelas, mas eu não sabia que gostavam tanto (risos). No avião foi uma festa … comecei a perguntar sobre Cabo Verde e quando cheguei a São Vicente já sabia muita coisa sobre a ilha” descreve Vera Holtz.

 

Questionada se tem a consciência que a sua presença faz brilhar ainda mais o Mindelact, a triz aceita que sim e diz “tenho muita responsabilidade pelo meu sucesso. Reconheço de coração. Acho que devemos ter essa consciência de responsabilidade como artista … Quando comecei a fazer sucesso percebi a importância dessa troca e a importância que o sucesso tem… é uma responsabilidade muito grande.”

 

IMG_20181108_112851.jpg

 

Sobre a intérprete de “Sonhos para vestir” Vera Holtz atesta que Sara Antunes é uma artista contemporânea e muito criativa “ela escreve e atua”.

 

A peça “Sonhos para vestir”, sob a direção de Vera Holtz, que deveria subir ao palco do Mindelact na quinta-feira, 8, foi adiada para sexta 9.

 

IMG_20181105_161640.jpg

 

E voltou a divertir, competentemente, as crianças numa sessão de histórias no Centro Cultural do Mindelo.

 

Renovação, amor e improviso é o segredo de Enano, o palhaço que há 14 anos e todos os anos é uma destacada figura do Mindelact. “O desafio é renovar para oferecer algo diferente e a energia é a mesma. Procuro sempre surpreender. Tudo o que faço, faço com amor. Ah! Tenho a capacidade de improvisar posso contar uma história várias vezes e cada vez de forma diferente”.

 

Enano apresentou na tarde de segunda-feira, 5, aos alunos do EBI, no pátio do Centro Cultural do Mindelo. A reação foi boa. “Gostei muito das histórias, ele é engraçado”, “ri muito com a história dos lobos, da música de parabéns e do malabarismo”.

 

Enano continuará a deliciar os são-vicentinos nos próximos dias e durante a presente edição do festival internacional de teatro do Mindelact.

Praças e ruas de Mindelo, foram o grande palco do Mindelact na versão teatro de rua. Varias personagens desfilaram pela cidade quer em grupo, ou individual, com maletas, de fatos ou vestidos longos, de olhos vendados ou não para que todos os minndelenses respirassem arte com alma e afeto.

 

O casal, Amilton e Epifania, dançou ao som de mazurca, colá san jon, funaná e morna, num cenário tradicional onde não faltou peças antigas como candeeiro de petróleo, caldeira ao lume, ferro de engomar a brasa, pilão, balaio ...

 

 

IMG_20181103_121927.jpg

 

IMG_20181103_121920.jpg

 

O Clown Enano, de Espanha, espalhou alegria na rua de Lisboa. O palhaço encantou todos que por aí passaram e, em cada um, arrebatou sorrisos e mais sorrisos.

 

IMG_20181103_113319.jpg

 

IMG_20181103_114206.jpg

 

As três meninas, de vestidos longos e de mala na mão, distribuíram abraços e declamaram poemas de amor com arte, alma e afeto.

 

IMG_20181103_123750.jpg

 

IMG_20181103_123515.jpg

 

Foram varias as personagens que desfilaram arte pelas ruas e praças da cidade e, no final o ponto de encontro foi a praça nova.

 

IMG_20181103_131604.jpg

mindelact.jpg

 

Ulisses Correia e Silva considera Mindelact uma marca da cultura e das artes de Cabo Verde. O Primeiro-ministro falava na abertura oficial do Festival Internacional do Teatro Mindelact, esta sexta-feira, no Mindelo.

 

Para Ulisses Correia e Silva este é o momento que consideramos importante na arte e na cultura de Cabo Verde em São Vicente. Correia e Silva reafirma o compromisso de parceria com a Associação e disse ser um orgulho o percurso e os resultados que o Mindelact traz para o país.

 

João Branco, presidente do Mindelact, admite que a economia dos afetos não é um termo poético inventado por uma pessoa lunática que não consegue ter os pés bem assentes no chão. A economia dos afetos, reforça, existe efetivamente e permite, “por exemplo, que um festival que poderia custar X custa dez vezes menos que X”.

 

Enano Torres, a representar os artistas do Mindelact 2018, acredita que o que une este festival é o coração. “O Mindelact é um festival cheio de alma, arte e afeto” disse Enano acrescentando que todos os artistas que tem participado no Mindelact garantem que este festival é diferente.

 

“Mindelact 2018 - Arte, Alma e Afeto” faz de Mindelo a maior sala de espetáculo do país e da África Ocidental até ao dia 11 de novembro. A 24 edição abriu com “De Marfim e Carne - As estátuas também sofrem” da coreografa cabo-verdiana Marlene Freitas.

 

A edição desde ano conta com a participação de países como Portugal, República Checa, Marrocos, França, Brasil, Espanha, Uruguai, Angola e Gana e espetáculos distribuídos entre o Centro Cultural do Mindelo, Alaim, praças e zonas de São Vicente, de Salamansa a São Pedro.

 

 

UCS.PNG

 

mindelact.PNG

English French German Italian Dutch

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários