Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Noviactual

MENU

A peça “Elas - Uma viagem no feminino” é um musical que retrata a luta da mulher cabo-verdiana e do mundo ao longo da história, como relata Vera Cruz diretora artística, depois da estreia no Mindelact.

 

“Todas as músicas escolhidas, todos os nomes que pareceram foram a forma de homenagear as mulheres cabo-verdianas e do mundo desde outros séculos, com outras condições, outro respeito, outros direitos e, de outros, que tem menos direitos, mas de mulheres mortas ou não que fizeram algo para que hoje pudéssemos ter mais liberdade”.

 

Vera Cruz define a peça como sendo um processo desafiante “foi um processo doido, muito doido. O guião ficou pronto há dois dias. Estou neste desafio há dois anos, primeiro com Grito Rock e agora Mindelact, um desafio mais sério” concluiu.

 

noviactual.PNG

 

No ato de encerramento, de mais uma edição da festa do teatro do Mindelo, o presidente anota que a edição, cheirando a bodas de prata, foi de novo um festival de resistência.

 

João Branco agradece a todos, desde artistas aos parceiros, à equipa disse “somos uma equipa que sonha, pensa, e trabalha o ano inteiro para que durante 10 dias o evento dos afetos aconteça com o fulgor cada vez maior e foi graças a essa incrível equipa que foi possível iniciar esta aventura” concluiu.

 

E com o coração nas mãos, mas com muita arte, alma e afeto foi anunciado o Mindelact 2019.

 

IMG_20181108_113803.jpg

 

A atriz brasileira Vera Holtz encontra-se no Mindelo para apresentar, no Mindelact, a peça “Sonhos para vestir” interpretada por Sara Antunes.

 

Vera Holtz conhecida pelos seus inúmeros papéis nas telenovelas da Globo disse estar surpreendida pelo carinho recebido dos cabo-verdianos. “Senti realmente como é estar em Cabo Verde na sala de espera do aeroporto. As pessoas reconheceram-me e começaram a falar sobre as minhas personagens nas novelas. Eu sei que as pessoas gostam de novelas, mas eu não sabia que gostavam tanto (risos). No avião foi uma festa … comecei a perguntar sobre Cabo Verde e quando cheguei a São Vicente já sabia muita coisa sobre a ilha” descreve Vera Holtz.

 

Questionada se tem a consciência que a sua presença faz brilhar ainda mais o Mindelact, a triz aceita que sim e diz “tenho muita responsabilidade pelo meu sucesso. Reconheço de coração. Acho que devemos ter essa consciência de responsabilidade como artista … Quando comecei a fazer sucesso percebi a importância dessa troca e a importância que o sucesso tem… é uma responsabilidade muito grande.”

 

IMG_20181108_112851.jpg

 

Sobre a intérprete de “Sonhos para vestir” Vera Holtz atesta que Sara Antunes é uma artista contemporânea e muito criativa “ela escreve e atua”.

 

A peça “Sonhos para vestir”, sob a direção de Vera Holtz, que deveria subir ao palco do Mindelact na quinta-feira, 8, foi adiada para sexta 9.

 

JCF1.PNG

 

“Magistratura de Influência” foi apresentada esta quinta-feira, 25, no Mindelo. A obra é uma compilação das intervenções públicas do presidente da república sobre várias matérias como justiça social, migrações, infância, questão da nossa autonomia territorial entre outras. A obra foi apresentada por Celeste Fortes e João Cruz Delgado.

 

Antes do lançamento de "Magistratura de Influência" houve um momento de música em homenagem a morna, Nha berço de Betú, na voz de Nilton e cordas de Vozinha.

 

 

JCF2.PNG

 

JCF.PNG

1.PNG

 

“Morabeza – Festa do Livro” abriu as portas esta sexta-feira no Centro cultural do Mindelo com 40 escritores nacionais e estrangeiros, 750 títulos e mais de 4500 exemplares.

 

A edição deste ano decorre até 28 de outubro. A feira do livro abre o Morabeza que compreende ainda debates, lançamento de livros, sessões com escolas e universidades, Workshops, ateliês e escrita.

 

feira do livro.PNG

 

No ato de abertura, Abraão Vicente, Ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, avançou que o Festival Literário tem duas vertentes o acesso ao livro, com mensagem clara que é preciso ler, ter as obras em casa, conhecer bem os autores e as obras deles. A outra vertente segundo Vicente é ter livro a um preço acessível para que as pessoas possam usar e promover o uso do livro.

 

O Ministro avança que grande parte dos autores só aceitou o convite para estar na feira por esta se realizar no Mindelo.

 

“A expectativa deste ano é enorme porque Mindelo sempre foi o berço dos movimentos literários cabo-verdianos e espero que a população acolha os nossos autores. Grande parte das personalidades que aceitaram o convite para estarem nesta feira, aceitaram porque era em São Vicente e, porque era Mindelo. E, espero que cada um de vós, depois de cada sessão, pegue nos autores e mostre o que é Mindelo”.

 

 

Abraão Vicente saudou a presença, no evento, de Germano Almeida, Prémio Camões e anunciou que a próxima edição “Morabeza – Festa do Livro” vai-se realizar em Chã das Caldeiras, na ilha do Fogo.

 

 

Serenata Produções, através de Kicas Silva tem vindo a promover a música cabo-verdiana na ilha de São Vicente, mas o objetivo é levá-la a todo o arquipélago. Depois de homenagear artistas como Djosinha e Morgadinho, esta sexta-feira o homenageado foi Jorge Sousa pelos seus 70 anos.

 

Dos vários eventos realizados, vozes das ilhas é o mais procurado e, segundo Kicas Silva o objetivo é levar este evento às outras ilhas, através de parcerias com autarquias locais. “Pretendemos começar a fazer isso ainda este ano”.

 

O público assíduo dos espetáculos é, na maioria, pessoas de meia-idade, mas a juventude também aparece. “Temos apostado muito na qualidade e na seleção dos artistas.”

 

Até dezembro a agenda está recheada de eventos. Para cada mês, um espetáculo, um tema. Em julho “vozes da diáspora”, agosto traz “música das ilhas”, setembro é mês das recordações “lembrando nossos músicos e compositores” e outubro é vez de “novas vozes”.

 

O mês de novembro é dedicado a músicas tradicionais dos anos 70 e 80. Dezembro por ser um mês solidário, Serenata Produções promete trazer “solidariedade” em que é escolhido uma associação para ser ajudada.

 

Silva adianta que a recetividade do público é o motivo que o encoraja a continuar a dar o seu contributo à cultura cabo-verdiana.

“Porque o público tem sido recetivo aos nossos espetáculos desde 2011, ano em que começamos. Antes fazíamos espetáculos na Academia de música  Jota Monte mas como, neste momento, está impossibilitada de acolher qualquer atividade optamos pelo Centro Cultural do Mindelo", sublinha Kicas Silva acrescentando que “desde 2011 tem sido sempre a subir”. 

English French German Italian Dutch

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

Pub