Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Noviactual

MENU
  
      Foto: Fernando Bento

 

O músico, compositor e guitarrista, Tito Paris, sobe esta noite ao palco do Coliseu dos Recreios, em Lisboa, para um grande concerto. No espectáculo de comemoração dos 30 anos de carreira, Tito partilha o palco com amigos e companheiros de longa data, como Dany Silva, Paulo Gonzo, Paulo Flores, Rui Veloso e Vitorino.

 


Em 1987 produziu o seu primeiro álbum, um trabalho instrumental, seguindo-se «Dança Ma Mi criola», já com um grupo próprio. Em 1996 publicou o álbum «Graça de Tchega». Posteriormente, lançou dois trabalhos gravados ao vivo e, em 2002, uma novo disco de estúdio que intitulou «Guilhermina».

 

Fonte: noticias.sapo

 

Músicos de várias nacionalidades participam este sábado, 15 de Dezembro, em Santo Antão, num concerto de homenagem à cantora cabo-verdiana Cesária Évora.


No evento que marca o primeiro aniversário do desaparecimento físico da Rainha da Morna actua cerca de 25 artistas e grupos musicais. 
Tito Paris, Lura, Sara Tavares, Teófilo Chantre, Mário Lúcio, Nancy vieira, Diva Barros, Mariana Ramos, Mirri Lobo, Jacqueline Fortes e Maria Alice são alguns dos cantores crioulos que participam no tributo à Cize.


No concerto, que acontece no vale da Ribeira da Torre, actuam ainda músicos estrangeiros como Ismael Lo (Senegal), Camané (Portugal), Bernard Lavillier (França), Bonga (Angola) e Sia Tolno (Guiné-Conacri).


Segundo informações da organização, o espectáculo era um sonho da cantora. Cize havia manifestado a vontade de comemorar os seus 70 anos com um espectáculo na terra natal de sua mãe.


Paralelamente ao concerto - em homenagem a “diva dos pés descalços” que levou a morna (Património Histórico e Cultural Nacional) ao mundo - acontece uma feira de produtos artesanais, agrícolas, doçaria, bebidas e gastronomia.


Cesária Évora morreu aos 70 anos, no Mindelo, a 17 de Dezembro do ano passado, após um AVC. Cize já tinha posto fim à sua carreira musical devido a problemas de saúde.

 

O Governo aprovou esta quinta-feira uma resolução que classifica a "morna" como Património Histórico e Cultural Nacional, primeiro passo para tornar o principal género musical cabo-verdiano como Património Imaterial da Humanidade.


A notícia foi avançada pelo porta-voz do Conselho de Ministros, Jorge Tolentino, que salientou que o Ministério da Cultura está a ultimar uma Comissão Nacional para preparar o dossiê e actuar junto da UNESCO.


O diploma foi aprovado no Conselho de Ministros e atribui o estatuto ao género musical mais conhecido de Cabo Verde, tendo em conta o ponto de vista "histórico e cultural" na vida dos cabo-verdianos.


O objectivo é, após o reconhecimento da "morna" como património nacional, avançar para todo um trabalho para que a UNESCO a reconheça como património da humanidade", explicou Jorge Tolentino, atribuindo à cantora Celina Pereira a "maternidade" da ideia.


O Ministério da Cultura está a ponderar elevar outros géneros musicais como - tabanka, batuque e funaná - também a património nacional e apresentar a candidatura da Crioulização e do Espaço Virtual como patrimónios imateriais da humanidade.

 

Fonte: RTP

English French German Italian Dutch

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários