Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Noviactual

MENU

A ilha de São Vicente festeja hoje o seu Padroeiro e dia do Município. 

A data é comemorada no dia em que a ilha foi descoberta a 22 de Janeiro de 1462, pelo navegador português Diogo Gomes e coincide com o dia da celebração do seu padroeiro São Vicente.

 

A ilha de São Vicente tem uma história muito “rica”.

Desde sempre a ilha foi considerada a mais importante de Cabo Verde, pelo seu Porto grande, o maior do País. O Porto como o nome indica grande proporcionou a ilha de S. Vicente um grande desenvolvimento.

 

  

Quando falam da história da ilha fazem sempre referência as Companhia de depósito de carvão para abastecimento dos navios que por aí passavam, e dos Ingleses, que deixaram muitas heranças, como “as casas dos Ingleses” e o golfe. 

Falam também que, o desporto tinha uma grande “força” na ilha de São Vicente, uma das maiores equipas era o Mindelense.
Não é à toa que alguém uma vez disse:” Um vez Soncente era ote cosa”.
A sua cidade Mindelo foi considerada a capital de cultura de Cabo Verde.
A ilha de São Vicente é conhecida mundialmente pela sua Musica (Morna e coladeira); pelo Festival de Música da Baía das Gatas, o primeiro festival de música em Cabo Verde; pelo Carnaval; pelo Festival Internacional de Teatro Mindelact, pelo Campeonato de surf Sandy beach.

Bana, Cesária Évora, Tito Paris, Grace Évora entre outros nomes da música nasceram na ilha do Monte Cara ou ilha do Porto Grande como é conhecida.
A ilha de “Morabeza” é dona de belas praias como Laginha, Calhau, Baia das gatas, Praia grande entre outras.

 

 

Neste momento a ilha vive numa situação de abandono, com uma taxa de desemprego elevada. 

A Violência tomou conta de S. Vicente, e a insegurança se instalou nesta ilha. Apesar disso, o Mindelense não pára, não se refugia por medo, é uma população activa, corajosa e que quer lutar pela sua liberdade. Jovens que poderiam estar a contribuir para o desenvolvimento desta ilha, contribuam para o seu retrocesso.
A Praça Nova que sempre foi o ponto de encontro dos Mindelenses, hoje é o ponto de encontro dos “Gangs”. O governo ainda não conseguiu travar essa situação.
Recentemente surgiu uma associação cívica denominada “Cordá Monte Cara”, com o objectivo de lutar pelo desenvolvimento, estabilidade e segurança da ilha.
São Vicente é a nossa ilha de “nascença” de “criação” ou do “coração” e cabe a cada um de nós lutar por ela.

O Mártir Vicente

Carmo 22 Jan 11

 

Vicente foi um jovem que nasceu em Saragoza, Espanha no ano de 325. Muito jovem entrou para a vida religiosa e logo foi ordenado Diácono. 

O Bispo de Saragoza Valério lhe confiou a missão de pregador cristão e doutrinador catequético.
Na altura, os cristãos sofriam constantes perseguições. Vicente e o Bispo Valério foram perseguidos, presos e condenados à morte.

O Bispo por ser muito idoso foi exilado e Vicente torturado até a morte. O Jovem foi chicoteado, esfolado, tendo os nervos e músculos esmigalhados. Apesar de tanto sofrimento, Vicente não perdeu a sua fé e entoava o hino de louvor à Deus. Depois da morte, o seu corpo foi atirado num terreno pantanoso, para que os animais pudessem devorá-lo, mas foi protegido por um corvo enorme, que não permitiu que os seus restos fossem tocados.

 

Os homens decidiram então jogar o corpo no mar, com uma grande pedra amarrada no pescoço. O corpo foi resgatado por cristãos, que o sepultaram numa capela perto de Valência. Neste lugar foi construída a Basílica dedicada ao Santo e que guarda suas relíquias até hoje.

 

O Jovem foi canonizado e recebeu o nome de São Vicente Mártir, hoje santo padroeiro da ilha de São Vicente. O Jovem morreu no dia 22 de Janeiro de 350, desde então, o dia 22 de Janeiro é dedicado a São Vicente.

 

A ilha de S. Vicente está em festa, mas o ponto mais alto é sem dúvida, a Eucaristia em honra ao Mártir São Vicente, e patrono desta ilha. A missa a ser celebrada pelo Bispo Emérito de S. Tiago, Dom Paulino Livramento Évora, acontece hoje pelas 16 horas no pátio de São Pedro Claver. Segue-se depois a solene procissão pelas ruas da cidade do Mindelo.

 

Fonte: Paulinas.

 

ADECO

“Hip-Hop para um Cabo Verde sem Tabaco” é título de um festival a ser realizado hoje no Mindelo. 

O evento realizado pela ADECO, tem como objectivo conscientizar a sociedade e os jovens em especial, sobre os malefícios do tabaco, bem como capacitar os jovens artistas com informações que poderão utilizar nas suas mensagens.

 

Cerca de 15 músicas originais sobre o tema tabaco, serão apresentadas no festival, que abarca grupos musicais vindos das ilhas de S. Tiago, Sal, S. Antão e S. Vicente.
De S: Tiago: “Republika” e “Pomba Preto”: de Santo Antão: “BAI 2 R” , “Gol”, Glam Boys; do Sal: Golp de Letra e Ponta Cash; de São Vicente: WH “Hip Hop Art”, “Lod Escur”, “Seiva e JM”, “Difusão Atómica”, “A. K. A. LBP”, “Young Lyrics”, Irmandade, Black Souljah, etc...

Participam ainda grupos de dança como “Dangerous Street Dancers”, “Dance Company” e “The Mime”; bem como grupos de música tradicional: Nos Raiz, Minduka e Multimédia: Dâmaso Vaz e Arilson Almeida.

 
O festival que acontece esta noite, por volta das 19 horas na Rua de Lisboa, é uma iniciativa da ADECO em parceria com a Tobacco Free Iniciative, TFI-África, uma “agência” da OMS para a luta contra a epidemia do tabaco da região africana, e a Câmara Municipal de São Vicente.

 
A ADECO – Associação para Defesa do Consumidor, é uma associação particular sem fins lucrativos de intervenção cívica e de solidariedade social na defesa dos consumidores, que promove a cidadania, o desenvolvimento sustentado e a preservação do ambiente.

English French German Italian Dutch

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Últimos comentários

Pub